Meus olhares vão além de um único universo, passeio por sonhos, desejos, fetiches, sentimentos...olhando o mundo de forma livre...da forma como mulher que sou.
"A partir do momento que você descobre realmente a pessoa que você é, o que falam sobre você já não tem tanta importância assim." Caio F. Abreu

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Tamanhos


De repente descobri que não basta ser submissa e servir a um Dom, é preciso também saber o nível da submissão que possuo...toda submissa tem um nível de submissão, ou seja, de entrega, e não podemos forçar além. E conhecendo meu nível devo fazer o melhor dentro dele, sem comparações ou obsessões em busca de um modelo de “perfeição” que na verdade não existe.

Ao me deparar com uma submissão crescente em mim, tremi...me assustei e recuei uns passos por medo de mim mesma, medo dessa entrega, de estar me sentindo bem e confortável com ela...em como ela estava ali de forma tão natural em mim...uma sensação totalmente nova para mim. E conseguir entender e trabalhar tudo isso é um tanto complicado, há várias variantes a serem consideradas, entre elas o tamanho dessa entrega, dessa minha submissão.

Não existe uma submissão padrão, cada submissa tem sua plenitude, haverá as que tem uma submissão light, média, alta ou altíssima, não tem como mensurar a submissa dentro de um padrão pré estabelecido. Não temos como ficar comparando. Cada um, tanto o Dom quanto a submissa, tem seu tamanho pessoal, individual, pois as pessoas diferem-se umas das outras, enxergam e praticam o BDSM de maneira diferente, sem cartilhas à serem seguidas e ditadas em regras gerais.

Cada relação se desenvolve de maneira diferente, assim como a relação D/s, e após se encontrarem, estabelecem seus tamanhos, seu nível de entrega, um tamanho que muda conforme a relação, podendo variar para cima ou para baixo.

Algumas submissas são mais exigidas naquilo que é a essência da submissa, outras são exigidas no sexo e largadas na essência, essas diferenças torna impossível fazer comparativos, tanto com outras relações quanto dentro da própria relação.

Uma irmã de coleira terá um tamanho diferente do meu, irá desenvolver uma relação com o Dono diferente da minha, o importante é eu saber qual é o meu tamanho, o quanto isto agrada ao Dono e é bem resolvido entre nós dois. Cabe a mim saber lidar bem com o meu tamanho, independente do tamanho da outra, pois será um aprendizado dividir uma cena com uma submissa de entrega maior, e um orgulho servir de exemplo para uma submissa de entrega menor, não há perda nisso apenas ganho seja qual for o tamanho de entrega da outra.

Podemos comparar esta questão do tamanho com um despertador, ao abrirmos um nos deparamos com engrenagens de diversos tamanhos, umas maiores outras menores, mas todas fazem o relógio funcionar, todas tem seu papel e importância. Esse tamanho é definido pela submissa, o Dono a aceita assim e a molda à partir desse tamanho.

Sabendo qual o meu tamanho, poderei me cobrar na medida exata...me dedicar na medida exata...

O que irá definir o meu tamanho? Minha submissão e minha vida baunilha. Uma submissa de sessão avulsa não é menos submissa do que eu, só não pode ter um tamanho de entrega maior do que tem, é o equilíbrio entre o BDSM e o baunilha, fora outros aspectos mais pessoais que irão definir esse tamanho. E este tamanho não é invariável, ele pode aumentar ou diminuir conforme se avança na relação, é flexível ao equilíbrio que se vive.

Se focarmos no tamanho alheio, nos perderemos. O foco deve ser sempre o nosso próprio tamanho...nossa própria entrega, dando sempre o melhor de si, o nosso tamanho é o equilíbrio de uma série de coisas. Ao Dono cabe sentir e observar esse tamanho, para cobrar e corrigir quando necessário.

Quando encontramos nosso tamanho e lidamos bem com ele, nada será capaz de nos abater, mesmo que eventualmente tenhamos que lidar com dúvidas e inseguranças. Não podemos ser maiores do que realmente somos e suportamos, não é porque outra submissa é maior em seu nível de entrega que vamos nos violentar forçando algo que não podemos dar, ou se uma submissa é menor em seu nível de entrega iremos relaxar naquilo que podemos dar...senão, as engrenagens só vão se corroer...

Não existe meia submissa ou meio Dom, cada um é inteiro dentro do seu tamanho.

O tamanho é uma coisa implícita...o importante é entender que cada um tem o seu e deve saber lidar com ele.


вy ¢яιѕταℓ ∂є Eяσѕ

13 comentários:

EU SOU NEGUINHA disse...

LINDONA...
vIM MATAR A SAUDADE...AGORA JÁ TENHO NET...HAHAHA,DEPOIS D EMUITA BRIGA,ESTOU DE VOLTA..
SAUDADES DESTE CANTO...
VIM AGRADECER TBEM O MIMO...ESTA SALVO,EM BREVE COLOCO ELE NO MEU BLOG DE PRESENTES QUERIDOS..
BEIJOS EM TI E DOCE FDS

dog pet disse...

muito bom seu texto, concordei, afinal temos q nos conhecer bem, conhecer nossos limites antes de qualquer passo.

petbeijos...

hayal{CSoG} disse...

Linda, como sempre, um belo texto...
Não te conheço pessoalmente e so nos falamos por comentarios nos blogs...
Mas por tudo o que leio de vc, sinto que vc não tem tamanho...e isso é o melhor...pq vc pode crescer sempre e transpor limites...Sempre te vejo assim...Crescendo e eu aprendo muito com vc tmb...alias,todas as pessoas que te leem, acredito que levam ensinamentos dos teus relatos verdadeiros...
Eu ja te acho grande, mas tenho certeza que vc sempre esta crescendo...

Saudações ao teu Sr. e meus carinhos sinceros para vc...
mil beijinhos...

► JOTA ENE ◄ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Izabel disse...

Olá querida Cristal...

Estou gostando mto dos seus posts, pois são mto reflexivos e nos fazem ver as diversas nuances e variantes que uma submissa ou a submissão podem ter...

Parabenizo a vc por sua evolução e ao Sr Eros pela ótima condução...

Beijos e bom fds!!!

Izabel ;-)

{Júlia}Domador disse...

Cristal...

Só tenho a te admirar e constatar que a leitura que faço nos teus posts só adicionam mais ainda essa nossa busca de entender essa magia que existe na submissão. Voce conseguiu converter muitos de nossos sentimentos em palavras, facilitando entender um pouco mais...

obrigada por compartilhar teus posts.

Ahhhh agradecendo pelo mimo recebido... fico muito feliz com a sua lembrança.

bjusss

§ яєßє¢α de O AMO § disse...

Cris, minha amiga linda,

Adorei a reflexão. Sobre o tamanho de cada um , tenho a dizer que para tudo na vida é necessário termos consciência dele. Até aonde suportamos ir como filha, mãe, amiga, parceira (tanto baunilha quanto SM) , profissional? Esse limite será o divisor de águas para que aquela reflexão venha e respiremos o suficiente para continuar seguindo. Quando nos esbarramos no nosso tamanho, é sinal que estamos pronta para avançar.

Eu já passei por situações tão ricas por descobrir que o meu limite ia um pouco mais além do que eu imaginava, ou era bem menor... E eu cresci tanto... Passei por estes tamanhos , alcancei outro, e outro e sei que vou alcançar muitos... Assim, como vc minha linda. Temos mais tamanhos , mas ao mesmo tempo não os temos. A cada lapidação da vida, ficamos ainda maiores (mais fortes).

Vc falou da submissa avulsa, e eu credito que uma ela faz muito mais bonito que algumas submissas que se dizem a tal , quando na verdade não passam de baunilhas apimentadas (nada contra , tá, porque eu também sou, todavia , no BDSM sou escrava, pisc!). Essas avulsas pelo menos se assumem e acabam por ser grandiosas em se mostrar no meio, o qual não deveria ter preconceitos, mas o tem em grandiosa escala. Algo a se refletir também: o tamanho também se faz a partir de nossos valores e respeito ao próximo.

Um beijo carinhoso , vários abraços apertados e uma semana divina a Ti e ao Teu Dono e Senhor

Luna disse...

post maravilhoso! que bom saber que não sou uma alienígena! há diferenças de submissão, isso era uma dúvida que tinha.

seu post me esclareceu muitas coisas.

OBRIGADA! Beijos de carinho!

Há dois presentes pra você em meu espaço!

Luna

myrah disse...

¢яιѕταℓ ∂є Eяσѕ,

Este seu texto merece um prêmio, não só pela beleza, mas pela verdade nas palavras.

Feliz demais de por tê-la em meu Jardim, seu carinho é precioso para mim.

Flores brancas a ti!

Curiosa disse...

querida ...
grata pela visita ... boa semana para você ... beijo ..

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Bom, na minha modesta opinião é que no BDSM há uma troca e essa troca supostamente é que fará do BDSM algo mágico.

No meu entender, uma das partes domina pelo prazer que tem em ver a outra parte submetida, mas por sua vez é dominado pela outra parte, que o submete cada vez mais, através do sua submssão.

Na verdade, apesar de haver uma relação carecterizada de cima para baixo (digamos assim), de dominador para submetido, esta ordem se inverte no sentido sensual, sentimental e pessoal, a parte dominada submete pela sua vontade, a parte dominante.

A haver esta perfeita simbiose, na maioria das vezes, imperceptível a ambos pode a quem está de fora (como eu) supor que haja a tal mágica do BDSM !!

Um Beijo !!!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
FRAGMENTOS DE CRISTAL

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

José
Ramón...

{Júlia}Domador disse...

Bom dia... deixei presentinho pra vc... rs


bjus